AO VIVO gitanimator
16:45 - 17:15 Na Cozinha

O Programa Na Cozinha traz os mais diversos pratos da cultura brasileira de forma descomplicada. Apresentado por Márcia Kappes, aqui você aprender e surpreender com os melhores pratos.

14:00 - 14:45 Caldeirão do Bruxo

Para deixar suas tardes ainda mais quentes com as melhores fofocas, Caldeirão do Bruxo, contando os babados, noticiando os fatos de celebridades, políticos, e personalidades com ele, Messias Bruxo.

10:30 - 13:30 Programa do Pop

O Programa do POP é uma revista eletrônica que transmite informação com clareza e dinamismo. No Programa do POP você tem a notícia em primeira mão.

10:00 - 10:30 Treino Aberto
https://cdn.tvcidadeverde.com.br/storage/webdisco/2023/09/02/80x60/2f3695a2941b737e6fc31ac8e860889d.png

O Treino Aberto é o seu de esportes, porta voz do futebol amador, com apresentação de Everton Moreno.

08:55 - 09:00 Shopping Cidade

09:55 - 10:00 Shopping Cidade

12:55 - 13:00 Shopping Cidade

16:40 - 16:45 Shopping Cidade

17:55 - 18:00 Shopping Cidade

18:55 - 19:00 Shopping Cidade

20:25 - 20:30 Shopping Cidade

21:25 - 21:30 Shopping Cidade

02:30 - 02:35 Shopping Cidade

04:25 - 04:30 Shopping Cidade

15:45 - 16:40 Pregação

16:45 - 17:15 Na Cozinha

19:00 - 20:25 Passando A Limpo

17:30 - 17:55 Programa Estilo

20:30 - 21:25 Programa da Gente

21:30 - 22:00 Programa Estilo

22:00 - 23:00 Cidadão Consumidor

23:00 - 23:15 AutoShow

23:00 - 23:15 AutoShow

23:15 - 00:15 Estúdio Ao Vivo

00:15 - 00:45 Caldeirão do Bruxo

01:00 - 01:30 Treino Aberto

01:30 - 02:00 Caiu na Rede

02:35 - 04:25 Cidade Kids

14:30 - 15:15 Caiu na Rede

14:45 - 15:45 Nossa República

07:00 - 08:00 Bate Papo

08:30 - 10:00 Manhã com Sabor

07:00 - 08:30 Jornal da Cidade

Notícias

Qui - 20 de Junho de 2024
113.png

Notícias Quarta-feira, 23 de Agosto de 2023, 11:03 - A | A

Quarta-feira, 23 de Agosto de 2023, 11h:03 - A | A

PRESO

MP se manifesta contrário ao pedido de prisão domiciliar de filho de deputado

PRESO

REPRODUÇÃO - PRIMEIRA PÁGINA

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) se manifestou contrário ao pedido de prisão domiciliar feito pela defesa de Carlos Alberto Gomes Bezerra, que no dia 18 de janeiro assassinou a tiros a ex-namorada e o atual companheiro dela. O réu alegou estar acometido de diabetes tipo 2, doença que faria com que ele ficasse debilitado. A manifestação ministerial assinada pelo promotor Jaime Romaquelli argumenta que a lei permite que o preso tenha direito à prisão domiciliar por motivo de doença, desde que a enfermidade torne o acusado extremamente debilitado e que o ambiente prisional não tenha a assistência necessária. “Os documentos que instruem o pedido não demonstram, a imprescindibilidade da prisão domiciliar, não havendo comprovação de que Carlos esteja em situação ‘extremamente grave’ em razão da doença que diz ser portador. Ao contrário disso, o que se tem nos autos principais é a informação de que a doença de que o requerente é portador (diabetes) é preexistente aos crimes cometidos, e não vida impondo nenhuma restrição aos atos de sua vida civil”, afirma o MP. Em janeiro, o filho do ex-deputado federal Carlos Bezerra assinou a tiros a ex-namorada Thays Machado e o namorado dela, Willian César Moreno, em frente a um prédio de luxo na região central de Cuiabá. Preso desde janeiro, Carlos tentou por diversas vezes sair da prisão preventiva para a domiciliar, fato este que foi ressaltado pelo MP na manifestação desta terça-feira (22). “Desde o início da prisão se observa o descontentamento do requerente por ter sido e permanecer preso, tendo apresentado, desde os primeiros dias, pedido de transferência para presídio diverso do da capital, sob argumento de que estava sendo extorquido por criminosos, depois outro pedido de transferência, sob argumento de que estava sendo ameaçado. Percebe-se, portanto, que o pedido de prisão domiciliar é só mais um artifício na tentativa de livrar o requerente da prisão, na esperança de que a sociedade esqueça os crimes cometidos”, diz trecho da manifestação ministerial.   O Ministério Público ainda afirma que, caso seja concedida a prisão domiciliar para Carlos Alberto, isso representará “um passaporte para todos os portadores de doença, de qualquer tipo, para cometer crimes livremente, na certeza de que não permanecerão presos”.   “Os documentos que instruem o pedido não demonstram, a imprescindibilidade da prisão domiciliar, não havendo comprovação de que Carlos esteja em situação ‘extremamente grave’ em razão da doença que diz ser portador. Ao contrário disso, o que se tem nos autos principais é a informação de que a doença de que o requerente é portador (diabetes) é preexistente aos crimes cometidos, e não vida impondo nenhuma restrição aos atos de sua vida civil”, afirma o MP.  

Comente esta notícia

institucional
facebook instagram tiktok whatsapp

Av. Archimedes Pereira Lima, 1200 - Jardim Itália, [email protected]

(65) 3612-0012