AO VIVO gitanimator
16:45 - 17:15 Na Cozinha

O Programa Na Cozinha traz os mais diversos pratos da cultura brasileira de forma descomplicada. Apresentado por Márcia Kappes, aqui você aprender e surpreender com os melhores pratos.

14:30 - 14:45 Caldeirão do Bruxo

Para deixar suas tardes ainda mais quentes com as melhores fofocas, Caldeirão do Bruxo, contando os babados, noticiando os fatos de celebridades, políticos, e personalidades com ele, Messias Bruxo.

10:30 - 13:30 Programa do Pop

O Programa do POP é uma revista eletrônica que transmite informação com clareza e dinamismo. No Programa do POP você tem a notícia em primeira mão.

10:00 - 10:30 Treino Aberto
https://cdn.tvcidadeverde.com.br/storage/webdisco/2023/09/02/80x60/2f3695a2941b737e6fc31ac8e860889d.png

O Treino Aberto é o seu de esportes, porta voz do futebol amador, com apresentação de Everton Moreno.

18:00 - 19:00 Estúdio Ao Vivo
https://cdn.tvcidadeverde.com.br/storage/webdisco/2023/09/02/80x60/34cd48f057a6443f558f503b23f4ff5c.png

De segunda a quinta-feira, você acompanha os bastidores da notícia, apurados de maneira criteriosa e responsável através do programa Estúdio Ao Vivo na tela da Rede Cidade Verde de Televisão e pela rádio Band FM 101,1.

06:00 - 06:59 Devoção Sertaneja

08:55 - 09:00 Shopping Cidade

09:55 - 10:00 Shopping Cidade

12:55 - 13:00 Shopping Cidade

16:40 - 16:45 Shopping Cidade

17:55 - 18:00 Shopping Cidade

18:55 - 19:00 Shopping Cidade

20:25 - 20:30 Shopping Cidade

21:25 - 21:30 Shopping Cidade

14:00 - 14:30 Direto de Brasília

14:45 - 15:45 Programa Perspectivas

15:45 - 16:40 Pregação

16:45 - 17:15 Na Cozinha

03:00 - 03:30 É Desse Jeito

Assista agora o programa É Desse Jeito!

19:00 - 20:25 Passando A Limpo

17:30 - 17:55 Programa Estilo

20:30 - 21:25 Programa da Gente

21:30 - 22:00 Programa Estilo

22:00 - 23:00 Cidadão Consumidor

23:00 - 23:15 AutoShow

23:00 - 23:15 AutoShow

23:15 - 00:15 Estúdio Ao Vivo

02:00 - 02:30 Caiu na Rede

03:30 - 05:50 Cidade Kids

02:30 - 03:00 Canal dos Clubes

01:30 - 02:00 Hot Garage

08:30 - 10:00 Manhã com Sabor

07:00 - 08:30 Jornal da Cidade

Notícias

Seg - 20 de Maio de 2024
113.png

Notícias Terça-feira, 02 de Abril de 2024, 08:14 - A | A

Terça-feira, 02 de Abril de 2024, 08h:14 - A | A

GLOBAL

Ataque aéreo israelense em Gaza mata cozinheiros de ONG de chefs renomados

Carro da Cozinha Central Mundial levava cidadãos da Austrália, Grã-Bretanha, Polônia, EUA, Canadá e um palestino quando foi atingido por míssil

CNN

Cidadãos da Austrália, Grã-Bretanha e Polônia estavam entre as sete pessoas que trabalhavam para o famoso chef Jose Andres, do World Central Kitchen (WCK, ou Cozinha Central Mundial, em português), que foram mortas em um ataque aéreo israelense no centro da Faixa de Gaza na segunda-feira (1º), disse a ONG.

Os trabalhadores, que também incluíam palestinos e um cidadão com dupla nacionalidade dos Estados Unidos e do Canadá, viajavam em dois carros blindados com o logotipo da WCK e outro veículo, disse a ONG em comunicado.

Apesar da coordenação dos movimentos com as Forças de Defesa de Israel, o carro foi atingido quando saía do seu armazém em Deir al-Balah, após descarregar mais de 100 toneladas de ajuda alimentar humanitária trazida para Gaza por mar, disse a WCK.

“Estou com o coração partido e chocado porque nós – a World Central Kitchen e o mundo – perdemos lindas vidas hoje por causa de um ataque direcionado das FDI”, disse a CEO da World Central Kitchen, Erin Gore, no comunicado.

“O amor que tinham por alimentar as pessoas, a determinação que incorporaram para mostrar que a humanidade se eleva acima de tudo, e o impacto que causaram em inúmeras vidas serão para sempre lembrados e apreciados”, acrescentou Gore.

As Forças de Defesa de Israel (FDI) disseram que estão “conduzindo uma revisão completa nos mais altos níveis para compreender as circunstâncias deste trágico incidente”.

Vídeos obtidos pela CNN mostram os corpos ensanguentados de várias vítimas vestindo coletes da World Central Kitchen após o ataque aéreo na cidade central de Deir Al-Balah.

Veículo onde trabalhadores humanitários da Cozinha Central Mundial foram mortos em um ataque aéreo / Ahmed Zakot/Reuters

A World Central Kitchen disse que estava interrompendo suas operações após o ataque mortal e avaliando o futuro de suas operações em Gaza.

A instituição de caridade com sede em Washington fornece refeições a regiões e comunidades atingidas por desastres em todo o mundo.

É uma das poucas organizações de ajuda que fornece alimentos desesperadamente necessários em Gaza, onde 2,2 milhões de pessoas não têm o suficiente para comer e onde as agências humanitárias alertam que metade da população está à beira da fome e da fome devido ao estrangulamento da ajuda por parte de Israel e à disseminação generalizada de alimentos.

“Hoje @WCKitchen perdeu vários de nossos irmãos e irmãs em um ataque aéreo das FDI em Gaza”, escreveu o fundador do World Central Kitchen, José Andrés, no X. “Estou com o coração partido e de luto por suas famílias e amigos e por toda a nossa família WCK.”

“O governo israelense precisa acabar com esta matança indiscriminada. É preciso parar de restringir a ajuda humanitária, parar de matar civis e trabalhadores humanitários e parar de usar os alimentos como arma”, acrescentou.

“Estas são pessoas… anjos… com quem servi na Ucrânia, Gaza, Turquia, Marrocos, Bahamas, Indonésia. Eles não são anônimos… eles não são anônimos.”

A australiana Lalzawmi “Zomi” Frankcom (à esquerda) estava entre os mortos confirmados / Cozinha Central Mundial/X

O primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, identificou a vítima australiana como Lalzawmi “Zomi” Frankcom.

“Esta é alguém que se ofereceu como voluntário na Austrália para ajudar as pessoas durante os incêndios florestais. Trata-se de alguém que se voluntariou no estrangeiro para prestar ajuda através desta instituição de caridade às pessoas que sofrem tremendas privações em Gaza”, disse Albanese.

“A Austrália espera total responsabilização pelas mortes de trabalhadores humanitários, o que é completamente inaceitável.”

Ele disse que o governo australiano já entrou em contato diretamente com o governo israelense e que o Departamento de Relações Exteriores e Comércio solicitou uma “ligação” do embaixador israelense na Austrália.

Saif Issam Abu-Taha, um motorista e tradutor palestino que trabalha para a World Central Kitchen, foi citado como uma das vítimas pelo Hospital dos Mártires Al Aqsa em Gaza.

O Hamas condenou o ataque numa declaração nesta terça-feira (2), instando a comunidade internacional e as Organização das Nações Unidas (ONU) a “agir”.

“Este crime confirma mais uma vez que a ocupação continua a sua política de assassinato deliberado de civis inocentes, equipas de ajuda internacional e organizações humanitárias, nos seus esforços para aterrorizar aqueles que nelas trabalham e impedi-los de cumprir os seus deveres humanitários”, afirmou o grupo radical islâmico em comunicado.

Trabalhadores humanitários sob ataque

Barak Ravid, especialista em Oriente Médio e Analista de Assuntos Políticos e Globais da CNN, disse que as suas fontes em Israel mostraram “confusão” e “constrangimento” após a morte dos trabalhadores da Cozinha Central Mundial.

A World Central Kitchen era “uma ONG com a qual as FDI trabalhavam em estreita colaboração, porque parte do que a World Central Kitchen fazia era levar alimentos para Gaza através do mar”, disse Ravid.

“As FDI queriam mostrar que, ao trabalhar com esta organização, estão a resolver a escassez de alimentos em Gaza”, acrescentou. “E agora, alguns dias depois, as FDI supostamente atacam… trabalhadores humanitários desta organização.”

Ravid destacou que esta não é a primeira vez que trabalhadores humanitários são supostamente atacados pelas forças israelenses. A grande maioria dos trabalhadores humanitários que foram mortos eram palestinos e suas famílias.

Desde que a última guerra começou, após o assassinato e sequestro do Hamas em 7 de outubro no sul de Israel, pelo menos 165 trabalhadores da Agência das Nações Unidas de Assistência e Obras aos Refugiados Palestinos (UNRWA) foram mortos, informou a agência no mês passado.

A Cozinha Central Mundial ganhou as manchetes nos últimos anos por coordenar a ajuda alimentar a milhares de pessoas depois de um terramoto ter devastado o Haiti, o furacão Maria ter devastado Porto Rico, incêndios florestais devastarem o sul da Califórnia e uma crise de refugiados se ter intensificado na fronteira com a Venezuela.

Em março, a organização sem fins lucrativos liderou uma iniciativa para enviar 200 toneladas de ajuda alimentar para Gaza – o que, segundo ela, foi o primeiro envio marítimo de ajuda humanitária para o enclave palestino.

A remessa incluía ingredientes suficientes para 500 mil refeições que a World Central Kitchen planejava distribuir na região, onde centenas de milhares de pessoas estão à beira da fome.

Comente esta notícia

institucional
facebook instagram tiktok whatsapp

Av. Archimedes Pereira Lima, 1200 - Jardim Itália, [email protected]

(65) 3612-0012