AO VIVO gitanimator
16:45 - 17:15 Na Cozinha

O Programa Na Cozinha traz os mais diversos pratos da cultura brasileira de forma descomplicada. Apresentado por Márcia Kappes, aqui você aprender e surpreender com os melhores pratos.

14:00 - 14:45 Caldeirão do Bruxo

Para deixar suas tardes ainda mais quentes com as melhores fofocas, Caldeirão do Bruxo, contando os babados, noticiando os fatos de celebridades, políticos, e personalidades com ele, Messias Bruxo.

10:30 - 13:30 Programa do Pop

O Programa do POP é uma revista eletrônica que transmite informação com clareza e dinamismo. No Programa do POP você tem a notícia em primeira mão.

10:00 - 10:30 Treino Aberto
https://cdn.tvcidadeverde.com.br/storage/webdisco/2023/09/02/80x60/2f3695a2941b737e6fc31ac8e860889d.png

O Treino Aberto é o seu de esportes, porta voz do futebol amador, com apresentação de Everton Moreno.

08:55 - 09:00 Shopping Cidade

09:55 - 10:00 Shopping Cidade

12:55 - 13:00 Shopping Cidade

16:40 - 16:45 Shopping Cidade

17:55 - 18:00 Shopping Cidade

18:55 - 19:00 Shopping Cidade

20:25 - 20:30 Shopping Cidade

21:25 - 21:30 Shopping Cidade

02:30 - 02:35 Shopping Cidade

04:25 - 04:30 Shopping Cidade

15:45 - 16:40 Pregação

16:45 - 17:15 Na Cozinha

19:00 - 20:25 Passando A Limpo

17:30 - 17:55 Programa Estilo

20:30 - 21:25 Programa da Gente

21:30 - 22:00 Programa Estilo

22:00 - 23:00 Cidadão Consumidor

23:00 - 23:15 AutoShow

23:00 - 23:15 AutoShow

23:15 - 00:15 Estúdio Ao Vivo

00:15 - 00:45 Caldeirão do Bruxo

01:00 - 01:30 Treino Aberto

01:30 - 02:00 Caiu na Rede

02:35 - 04:25 Cidade Kids

14:30 - 15:15 Caiu na Rede

14:45 - 15:45 Nossa República

07:00 - 08:00 Bate Papo

08:30 - 10:00 Manhã com Sabor

07:00 - 08:30 Jornal da Cidade

Notícias

Qui - 20 de Junho de 2024
113.png

Política Sexta-feira, 27 de Outubro de 2023, 11:36 - A | A

Sexta-feira, 27 de Outubro de 2023, 11h:36 - A | A

SUPERFATURAMENTO

Gabinete afirma que prefeitura comprou medicamento superfaturados em 358%

As compras ultrapassam R$ 5,5 milhões e foram feitas entre os meses de julho e dezembro de 2022

Jaqueline Hatamoto

[email protected]

Jornalista e repórter do Grupo TV Cidade Verde

Segundo o Gabinete da Intervenção estadual a Prefeitura de Cuiabá comprou mais de R$ 5,5 milhões de medicamentos sem licitação. As compras foram realizadas em 2022. Alguns medicamentos custaram até 358% a mais que os valores de mercado. O documento com as informações, foi apresentado e assinado pelo co-interventor Hugo Felipe Lima. 

As compras foram feitas de julho a dezembro de 2022. Na época, a Secretaria Municipal de Saúde tinha um contrato vigente com o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Rio Cuiabá (CISVARC), que cataloga empresas aptas a disputarem processos licitatórios e aponta os valores cobrados por elas – possibilitando que a gestão escolha as opções com melhor custo-benefício.

Mesmo com esse contrato, os medicamentos foram comprados por preços extremamente altos. A intervenção montou uma tabela que mostra o quanto o preço pago extrapolou o padrão.

O medicamento com custo mais superfaturado foi o cloridrato de vancomicina 500 miligramas, pelo qual a Prefeitura de Cuiabá pagou um valor 358% superior ao pago pela Intervenção.  Ao ser comprado pela intervenção, o medicamento custou R4 4,96. A Prefeitura de Cuiabá, no entanto, pagou  R$ 22,70.  

Esse remédio, na dosagem de 1g, também foi supervalorizado em 154%. A intervenção o comprou por R$ 22,89, enquanto a prefeitura o adquiriu por R$ 58,12.  O terceiro medicamento mais supervalorizado, em  121%, foi o norepinefrina. A intervenção o obteve por  R$ 4,20, enquanto a prefeitura pagou R$ 9,29.

A lista de medicamentos supervalorizados é extensa

O coordenador técnico do Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (CDMIC), Orivaldo Júlio Alves, era o responsável pelas compras.

No dia 17 de outubro de 2022, Suelen Alliend (já falecida), que era a secretaria de Saúde de Cuiabá, encaminhou a Orivaldo uma proibição para a compra de medicamentos de maneira indenizatória, ou seja, sem sujeitar as compras ao processo licitatório.

"Diante do exposto, alertarmos que a partir da presente data, Vossa Senhoria não está autorizado a proceder com aquisições que não observem a expressa e prévia autorização da secretária da pasta e/ou adjuntos", escreveu a ex-secretária.

"Caso os aludidos processos não venham instrumentalizados de maneira recomendada, estes serão indeferidos na via administrativa e eventuais serviços prestados pela empresa fornecedora deverão ser objeto de procedimento judicial próprio, sem prejuízo da responsabilização pessoal e administrativa do servidor que proceder em desacordo com o ora determinado", concluiu.

Mesmo após a proibição, o CDMIC gastou R$ 1.352.203,83 na compra de medicamentos sem licitação. Tais aquisições foram feitas de 19 de outubro a 27 de dezembro.

A Procuradoria Geral do Município, então, encaminhou uma nota à coordenação do CDMIC esclarecendo que o órgão não tinha competência para ignorar o processo licitatório e que o abuso desse método configura uma irresponsabilidade que poderia causar prejuízos à administração pública.

 A petição

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), no dia 6 de setembro, entregou à Assembleia Legislativa um documento que acusava a Intervenção de ter cometido irregularidades na gestão da Saúde de Cuiabá. 

O documento, de conteúdo questionável, serviu de base para a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Indenizatórios, aberta pela base de apoio do prefeito na Câmara Municipal. A CPI acusa o gabinete interventivo de fraudar o processo licitatório para compra de medicamentos e insumos. 

Comente esta notícia

institucional
facebook instagram tiktok whatsapp

Av. Archimedes Pereira Lima, 1200 - Jardim Itália, [email protected]

(65) 3612-0012