AO VIVO gitanimator
14:30 - 14:45 Caldeirão do Bruxo

Para deixar suas tardes ainda mais quentes com as melhores fofocas, Caldeirão do Bruxo, contando os babados, noticiando os fatos de celebridades, políticos, e personalidades com ele, Messias Bruxo.

10:30 - 13:30 Programa do Pop

O Programa do POP é uma revista eletrônica que transmite informação com clareza e dinamismo. No Programa do POP você tem a notícia em primeira mão.

10:00 - 10:30 Treino Aberto
https://cdn.tvcidadeverde.com.br/storage/webdisco/2023/09/02/80x60/2f3695a2941b737e6fc31ac8e860889d.png

O Treino Aberto é o seu de esportes, porta voz do futebol amador, com apresentação de Everton Moreno.

08:55 - 09:00 Shopping Cidade

15:45 - 16:40 Pregação

17:30 - 17:55 Programa Estilo

21:30 - 22:00 Programa Estilo

22:00 - 23:00 Cidadão Consumidor

23:00 - 23:15 AutoShow

23:00 - 23:15 AutoShow

03:30 - 05:50 Cidade Kids

08:30 - 09:55 Manhã com Sabor

07:00 - 08:25 Jornal da Cidade

06:55 - 07:00 Shopping Cidade

06:00 - 06:55 Cidade Kids

08:25 - 08:30 Shopping Cidade

09:55 - 10:00 Shopping Cidade

19:00 - 20:00 Programa da Gente

18:00 - 19:00 Boa Noite Elias Neto

Notícias

Seg - 15 de Julho de 2024
113.png

Notícias Quarta-feira, 06 de Setembro de 2023, 16:00 - A | A

Quarta-feira, 06 de Setembro de 2023, 16h:00 - A | A

CIÊNCIA

Como inteligência artificial pode ajudar na busca pela imortalidade

Experimento utiliza IA para achar potenciais remédios capazes de frear o envelhecimento de nossas células, impedindo-as que se transformem em 'zumbis'

REPRODUÇÃO - G1

A busca pelo elixir da vida é intrínseca à humanidade. Enquanto a mitologia da Grécia Antiga contava a história de como Zeus envenenou o titã Chronos, seu pai, e assim alcançou a imortalidade, a Física moderna discute formas de manipular o tempo a nosso favor.


Um grupo de cientistas da startup californiana Integrated Biosciences, em parceria com pesquisadores da Universidade Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), nos Estados Unidos, deu um passo além nessa jornada.


O nome do estudo que publicaram, "Discovering small-molecule senolytics with deep neural networks" (em tradução livre, "Descobrindo pequenas moléculas senolíticas com redes neurais profundas"), pode soar complicado.

Talvez por isso sua divulgação ainda não tenha ido muito além do meio acadêmico, desde que a pesquisa foi detalhada em artigo do periódico Nature Aging em maio deste ano.


No texto, seus achados são descritos assim: "Treinamos modelos de aprendizagem profunda com os resultados de uma amostra de pequenas moléculas para atividade senolítica e aplicamos esses nossos modelos para descobrir compostos estruturalmente diversos".

O que os cientistas fizeram, para simplificar a explicação, foi utilizar inteligência artificial (IA) para procurar por possíveis remédios capazes de frear o envelhecimento de nossas células e de, assim, também combater doenças como fibroses, tumores, inflamações e artroses.

"Achar uma nova droga é como procurar por uma agulha no palheiro", diz à BBC News Brasil o físico e matemático americano Felix Wong, especialista em Biofísica, principal autor do estudo e um dos fundadores da Integrated Biosciences.
 

"No nosso caso, o palheiro consiste em todos os potenciais compostos químicos já criados ou que podem vir a ser desenvolvidos."

Usando a IA, Wong pôde testar como mais de 800 mil opções de soluções químicas reagiam a potenciais remédios capazes de selecionar e eliminar senescentes, conhecidas como "células zumbis" do corpo e que levam a processos de envelhecimento.

"Se procurássemos em tudo, ou seja, olhando um a um cada composto, exigiria um esforço substancial, visto que o palheiro seria quase infinito", avalia Wong.
 

"Usamos a IA para procurar nesse palheiro de forma bem mais eficiente, fazendo a máquina prever quais dessas candidatas a drogas são mais prováveis de funcionar."
 
Em depoimento à Nature Aging, o biofísico Andrew Rutenberg, professor da Universidade de Dalhousie, no Canadá, destacou essa metodologia como o grande diferencial da pesquisa.
"Esse trabalho impressionante usa técnicas de aprendizagem profunda de máquinas para explorar diversas estruturas moleculares para uso como novos senolíticos."
Os autores mostram como cheminformatics (termo em inglês que usa para designar "informações químicas") podem ser utilizadas para criar novas drogas promissoras contra o envelhecimento, depois testadas por eles e compartilham detalhes de seu software para ajudar a acelerar futuras descobertas moleculares.


No fim da experiência, ele e sua equipe chegaram a três potenciais drogas que em tese podem realizar esse controle.

Comente esta notícia

institucional
facebook instagram tiktok whatsapp

Av. Archimedes Pereira Lima, 1200 - Jardim Itália, [email protected]

(65) 3612-0012